Não é raro que durante a condução do veículo aconteçam imprevistos que deixem o condutor nervoso e sem saber o que fazer. Pensando nisso, listamos algumas dessas complicações e como elas podem ser evitadas. Pane no veículo, atolamento, estouro de pneu e quebra do para-brisa, veja como se sair bem nessas situações indesejáveis.

 

Pane no veículo

Combustível adulterado, superaquecimento do veículo, falha no sistema elétrico. Muitos motivos podem gerar pane. A melhor solução é manter a calma e agir com prudência. Sinalize com a seta e com as mãos e tente levar o carro para a faixa da direita ou para o acostamento. Se isso não for possível, pare e ligue o pisca-alerta. Para evitar a possibilidade de atropelamento, saia do carro com cuidado e não deixe que outros passageiros, em especial as crianças, desçam antes de você. Coloque o triângulo a pelo menos 50 metros do veículo, permitindo que os outros motoristas o vejam e possam desviar com antecedência e segurança.

 

Atolamento

Mais comuns nas ruas de terra, os atolamentos acontecem principalmente com os carros de passeio que não possuem capacidade de tração suficiente para sair desse tipo de situação. Outra situação é encalhar na areia das praias. Para evitar essas situações, o ideal é passar em baixa velocidade sempre com as rodas nas partes mais altas da pista, fugindo das depressões causadas pela passagem de outros veículos. Se a via estiver enlameada, o melhor é seguir em segunda marcha, que garante maior tração, acelerando com suavidade para que as rodas não patinem.

Se não conseguir evitar e o carro acabar atolando, primeiro retire um pouco do barro à frente das rodas, coloque galhos, pedras ou folhas sob os pneus e procure sair em primeira marcha para que as rodas não afundem mais. Na areia, você pode seguir o mesmo procedimento, além de molhá-la para que fique mais compacta e não ceda tanto com o peso do veículo.

 

Estouro do pneu

De modo geral, os pneus são muito resistentes devido à alta tecnologia, mas,  como representam a única parte do veículo em contato com o solo, estão sujeitos a um eventual estouro. A principal razão para que isso aconteça é o forte impacto contra buracos ou obstáculos. Nesse caso, é necessária atenção redobrada em estradas irregulares ou com pouca visibilidade, evitando passar sobre elementos pontiagudos ou cortantes. Além disso, é bom observar se não há surgimento de bolhas ou rachaduras.

Caso o pneu estoure ou esvazie com o carro em movimento, não pise no freio. Mantenha o carro em linha reta (provavelmente, ele vai “puxar” para o lado do pneu estourado) e reduza a velocidade apenas tirando o pé do acelerador. Quando tiver o controle do veículo, sinalize e cuidadosamente saia para o acostamento ou outro local seguro para fazer a troca.

 

Quebra do para-brisa

Não guardar uma distância segura de outros veículos pode facilitar o fato de o para-brisa ser atingido por pedras levantadas e atiradas pelo carro da frente. Fique atento quando estiver atrás de caminhões ou para cruzar com um que possua carga exposta. Se o vidro for acertado e acabe trincando, dependendo do estrago, pode prejudicar a visibilidade durante a condução. Nesse caso, procure acionar o seguro ou alguma ajuda para não seguir viagem dessa forma. Atualmente, os carros vêm sendo fabricados com vidro laminado, que trinca em pedaços maiores e não prejudica tanto a visão. Ainda que o para-brisa tenha sido atingido num ponto que não atrapalhe a visão do motorista, procure trocá-lo o quanto antes ou, quando for possível, faça o reparo necessário. Além de facilitar acidentes, circular com danos no para-brisa é infração grave, com multa de R$ 195,23 e retenção do veículo até regularização.